quinta-feira, março 04, 2004

Tipos De Professor Que Com Certeza Já Teve

Para completar os tipinhos da sala de aula, os tipos de professor, lógico. Essa vai em especial para os bixos e bixetes do curso de Jornalismo PUCCampeiro, que estão apenas entrando nesse universo de professores bizarros, porém divertidos...

Professor "Preciso-de-uma-fonoaudióloga" - Fala para dentro, fazendo os alunos não entenderem porra nenhuma do que é explicado em aula. Acaba fodendo a todos, que ou reprovam ou têm que estudar como bestas para não reprovar.

Professora "Helena" - O nome vêm da bondosa professora da falecida novelinha mexicana Carrossel. Esse tipo de professora (não há professores do sexo masculino dessa espécie) trata seus alunos como crianças de 5 anos de idade, estejam eles na 8ª, 1º colegial ou até mesmo na faculdade. Muito comum em professoras mais idosas.

Professor "Quero-ser-Jerry-Seinfeld" - O professor metido a engraçadinho. Conta piadas durante a aula inteira, e às vezes até troca o assunto da aula por sessões de piadinhas. Costuma ser repreendido por diretores e afins. É o tipo de professor mais adorado por seus alunos. E odiado por alguns, aqueles que querem ter aula.

Professor "Shut Up When I'm Talking To You" - Aquele professor que implica com tudo, repreendendo os alunos até quando respiram mais alto. Costuma dar broncas nos alunos sem motivo, seja por notas baixas, trabalhos mal feitos, pedidos de saída de classe, às vezes aberturas de fichários e estojos, até. Antes de entrar na aula desse tipo de professor, descarregue sua bexiga e intestinos, pois uma vez dentro da classe, a chance de sair para fazê-los é zero.

Professor "Take-Me-Back-To-Piauí" - O professor de outro estado. Normalmente arranca risadas de seus alunos devido ao seu sotaque carregado. Há o mineiro (fessô), o gaúcho (professor tchê!), o carioca (professorrr), o paulista (psôr), o baiano (fessôr), e os demais interioranos (professorrrrrr). E várias variáveis.

Professor "I-Don't-Speak-Portuguese" - Uma variante internacional do anterior, mas de outros países, como os asiáticos (plofessol), Portugal (professoire), e Alemanha (Prrrofesssssorrra).

Professor "Big-Gay-Al" - O professor que todos suspeitam que é homossexual. Costuma rebolar muito e ter voz de Vera Verão. Normalmente é casado, o que deixa os alunos ainda na dúvida. Talvez esse tipo de professor compre aliança apenas para esse propósito, o mistério.

Professor "Abram-seus-guarda-chuvas" - Aquele professor que baba e/ou cospe. Sempre há um. Às vezes o faz na cara de seus alunos. Outras vezes na lousa, que fica manchada de saliva e catarro. Extremamente asqueroso.

Professor "Eu-sei-zoar" - E há aquele tipo de professor que em suas aulas fica tirando um barato com a cara dos outros professores e de seus alunos. Mais comumente encontrado em colegial ou cursinho, esse tipo de professor é adorado pela turma, principalmente quando fala mal daquele professor que a turma toda odeia (talvez o Professor "Shut Up When I'm Talking To You"). Ou quando chama alguém (seja professor, aluno, funcionário, parente...) de boiola, viado ou qualquer similar.

Alguma sugestão de tipo de professor? Histórias pra contar sobre relacionamentos com professores? Pra isso que servem os comentários, people! Comentem e make me happy!

Um comentário:

Senhorita Rodrigues disse...

Professor "todo-mundo-me-adora": é aquele tipico professor que se preocupa mais em ser amigo dos alunos do que lhes ensinar algo. Sempre quer saber de tudo da vida dos alunos, desde o que fizeram no final de semana até o valor das contas no final do mês. Se acha tão intimo que acredita que seus alunos tem obrigação de lhe contar qualquer coisa, por isso sempre perde a maior parte da aula tentando se sociabilizar e quando resolve explicar a materia sempre da exemplos pessoais, porque TUDO já aconteceu na vida dele. Crê que é o melhor e mais querido professor do colegio/faculdade, e quando leciona em alguma materia de maior peso (matematica, fisica, quimica...) chega a desfazer das outras. Na frente desse tipo de professor todos os alunos puxam o saco e figem que ele é o máximo, mas sabem o quão forçada é essa relação.