segunda-feira, maio 10, 2004

Filmes À Putanesca

Vamos à mais um resumo/resenha desse que é mais um clássico da pornografia cômica. O nome da obra-prima é A Fuga (Nome original, não?)

Resenha de filme : "A Fuga"

O segundo mais clássico dos filmes do Barraco do Gordo, em SP. "A Fuga" traz à tona toda a ruindade de uma produção pornográfica brasileira. Falas péssimas, atores e atrizes horríveis, cenários de 4ª categoria ... Basicamente, uma lata de merda. Mas por isso é tão cult. E hilário.

Todas as atrizes do filme têm peitos caídos, com exceção de uma que tem os peitos gordos, com estrias, o que também não é algo bonito de ser ver. Os atores também são um show à parte, fazendo caras e bocas super dramáticas.

A história da joça: Um ladrão é perseguido por um policial. O ladrão entra num helicóptero (deve ser traficante) e foge. O policial vai pra casa e conta tudo que houve para sua esposa. Ela diz "Ah, você tá muito nervoso, relaxa" e acho que vocês sabem o que acontece. Eles vão para o tapete (que deve ter sido comprado especialmente para o filme, pois solta muito pêlo nos dois, que sempre estão com vários fiapos brancos pelo corpo) e mandam ver. Os peitos da mulher são horríveis. Um nojo mesmo. Depois eles vão para a cama. A cama range pra caralho. O cara tira a camisinha para gozar, e o negócio dá uma estilingada na giromba do rapaz, que deve ter doído por uns bons dias. Um pouco de porra fica pendurado no brinco da mina. Extremamente engraçado. Depois, o policial comedor liga para um companheiro, e pede para que ele obtenha informações sobre o bandido que escapou com uma mulher lá. Todos sabemos como se desenrola a próxima cena.

Uma loira é a tal mulher. Se não tivesse os peitos horrivelmente caídos, seria a melhor garota do filme. Mas tem. O negócio ocorre normalmente, mas existem 3 detalhes nessa cena:
- A mina bate a cabeça na parede no meio da fornicação.
- O negão fica fazendo biquinho e suando como um porco. Chega a pingar. Ugh.
- Ouve-se uma voz (provavelmente da vizinha): "Cê vai apanhá!"

Agora, o grand finale. Um rapaz (no caso, o bandido) vai num barzinho, onde duas mulheres extremamente horríveis (uma gorda e uma magricela que dá dó) tomam cerveja. Nota-se ao fundo os garçons olhando para a mesa, rindo e comentando, tipo:
- "Não vai lá não que eles tão filmando um pornô, Soares!"
- "E aqueles dois monstros são as atrizes? Eca. Coitado do cara..."
Ou algo assim. Então as "minas" chamam o cara pra mesa delas. Conversa vai, conversa vem, e ele chama elas para o apartamente dele. Chegam lá, e tal, e começam a se roçar... Quando a magricela vai tirar a calça jeans do cara, o zíper emperra. Ela faz uma cara de desespero e olha para a câmera. Depois de um corte seco, o cara já está sem calças. Ouve-se uma conversa telefônica em alto e bom som. Algo do tipo "Às nove tá bom pra você? Então tá. Até lá então". "É a minha vizinha fofoqueira", justifica o cara. As conversas continuam por toda a cena. A magrela some do nada. A gordona (que usa um boné pra trás bizarro, by the way) fica chupando a piroca do cara. Ela se dá umas lapadas na cara com a manjuba do moço. Ele aplica uns tapas na cara dela. Lá pelo segundo tapa, ela segura a mão dele, é bem engraçado. A magra volta. Ela tem uma enorme moita em suas calças, parece que não apara os pêlos lá de baixo desde sempre.

Todos vão para a cama, viva! A cama, como todos os móveis dessa produção, range. Eles riem o tempo todo. É a vez da gorda sumir do nada. A câmera mostra ela vasculhando umas gavetas, achando um papel e usando toda sua veia artística de atriz pornô para dizer "Ahá, achei o que eu estava procurando! Agora ele vai se ver comigo". Os outros dois já acabaram seu coito. O rapaz está de bruços e, magicamente, apareceu uma sunguinha rosa nele. A garota que havia sumido algema uma das mãos do rapaz, que entrega a outra mão, tentando mostrar resistência com frases como "Que é isso? Peraí!". Agora a magia do cinema: na próxima cena, uma das garotas está vestida, sendo que estava pelada na anterior, a outra está pelada, e o cara de sunga. Os três vão para a delegacia vestidos assim. Fim. The End. Não é um belo final para um belo filme?

"A Fuga". Uma sessão de bom humor e gargalhadas que só brasileiro poderia nos proporcionar; Assistam, se tiverem a oportunidade! E se alguém quiser a fita emprestada, é só entrar em contato, beleza? (Embora eu duvide que alguém, além de mim, tenha coragem de assistir essa película)

-----------------------------------
Los Hermanos Em Campinas


Eu tô lá, canto direito de cima, entre as duas meninas, a de preto e a de cinza. A Gabi tava do lado...


Já foi. Sim, foi uma maravilha, um dos melhores shows que já vi, e embora "Pierrot" não tenha sido tocada, todo o resto que eu queria estava lá, além das inesperadas versões de "Sweet Child O' Mine" (com direito à dancinha e gritinho à la Axl Rose do Amarante) e da música-tema de "Armação Ilimitada". Estivemos presentes eu, Gabi, Markito, Renan e Marcel. O setlist, fotos e opinião de quem foi (leia, que eu fui, e dei opinião) você encontra na parte "shows" do site oficial.

Nenhum comentário: