sexta-feira, abril 30, 2004

Wesley Willis E A Esquizofrenia Crônica



E hoje apresentamos mais uma das coisas mais bizarras da música. O homenageado de hoje é Wesley Willis, o ex-mendigo que virou mega-estrela, compositor de letras extrordinárias e bases maravilhosas.

Tá, não é bem assim.

Wesley era um mendigo que vendia seus desenhos bizarros e tocava suas músicas com uma base pré-programada em seu tecladinho tosco, cantando qualquer letra que viesse à sua cabeça por cima. Até que o pessoal do Smashing Pumpkins descobriu o cara e deu um toque para Jello Biafra, ex-Dead Kennedys. Resultado: alguns discos do negrão bizarro.

Wesley tinha o estranho costume de cumprimentar os outros com uma cabeçada, por isso possuía uma constante mancha preta na testa, consequência de seus cumprimentos estronhos.

As músicas? Bom, todas se pareciam muito umas com as outras, e tinham nomes singelos como "Fuck You", "Eat That Mule Shit" e "Suck A Cheeta's Dick", entre outras. Willis dizia que a música "calava a boca dos demônios em sua cabeça". A estrutura das músicas era simples: Quatro versos formavam uma estrofe, e em seguida o refrão, que geralmente era o nome da música repetido quatro vezes. Quatro. Nem mais, nem menos. E no final, um comercial de alguma loja, com seu slogan (Noel Fernandes)? Exemplo do que digo?

Lick a camel's ass
Lick a moose's dick
Suck my doggy's cock
Suck a honey badger's ass

Suck my dog's dick
Suck my dog's dick
Suck my dog's dick
Suck my dog's dick


E Willis tinha a peculiar mania de homenagear quem ele gostava com músicas, e foi daí que saíram as músicas "Nirvana", "Alanis Morissete", "Alice In Chains", "Arnold Schwarzenegger", "Dave Grohl", entre outras. Quase todas eram iguais, mudando apenas o nome da banda/artista (ou seja, o refrão) e as declarações sobre ela feita nos versos. Exemplo?

This band played at the Metro
About 800 people were at the rock show
The jam session was awesome
It wupped a horse's ass

The Foo Fighters
The Foo Fighters
The Foo Fighters
The Foo Fighters

The band played it on
The band got down like a magickist
The crowd roared like a lion
The jam session wupped a tiger's ass

The Foo Fighters
The Foo Fighters
The Foo Fighters
The Foo Fighters


As músicas sempre bizarras, com o gordo cantando num ritmo estronho, sobre a base estronha de tecladinho pré-programado. Ele tinha alguns temas recorrentes, como a gordura ("I'm Slimming Down", "I'm Sorry That I Got Fat (I Will Slim Down)"), subir no ônibus ("Get On The Bus", "Get On The City Bus"), bater em super-heróis ("I Whipped Superman's Ass", "I Wupped Batman's Ass"), matar seu pai ("I Killed Your Daddy After Midnight",
"I Killed Your Daddy Yesterday"), chupar pirocas ("Suck a Cheetah's Dick", "Suck My Dog's Dick") e até ele mesmo ("Walter Willis Shabazz", "Wesley Willis" e "The Wesley Willis Fiasco").

Em 2002, ele descobriu ter esquizofrenia crônica (e fez uma música sobre isso, "Chronic Schizophrenia"), doença que o matou em 2003, privando o mundo de mais um talento musical incompreendido.

Em homenagem à Wesley Willis, esse negão gordo que tantas alegrias trouxe ao mundo, a letra de "Cut The Mullet", do próprio, com tradução feita por mim. Descanse em paz, Wesley. Descanse em paz, Wesley. Descanse em paz, Wesley. Descanse em paz, Wesley.

Cut The Mullet ("Corte O Mullet")
by Wesley Willis

Do something about your long, filthy hair / Faça algo com seu cabelo grande e sujo
It looks like a rat's nest / Parece um ninho de ratos
Do something about your mullet / Dê um jeito nesse mullet
Get out the hair clippers, jerk / Tire os prendedores de cabelo, babaca

Cut the mullet / Corte O Mullet
Cut the mullet / Corte O Mullet
Cut the mullet / Corte O Mullet
Cut the mullet / Corte O Mullet

Get the rat's nest off your head / Tire o ninho de ratos da cabeça
Get that crazy-ass mother off your skull / Tire essa maluquice de seu crânio
Take your ass to the barber shop / Leve seu traseiro ao barbeiro
Tell the barber that you're sick of looking like an asshole / Diga ao barbeiro que você está cansado de parecer um cuzão

Cut the mullet / Corte O Mullet
Cut the mullet / Corte O Mullet
Cut the mullet / Corte O Mullet
Cut the mullet / Corte O Mullet

The mullet is the reason why people hate you / O mullet é a razão pela qual as pessoas te odeiam
They are sick of looking at your nappy weed-sack / Elas estão cansadas e olhar para seu saquinho de maconha (???)
Nobody wants to look at you with that mullet on your head / Ninguém quer olhas para você com esse mullet na cabeça
Why don't you cut that mullet, you numbskull / Porque você não corta esse mullet, seu idiota

Cut the mullet / Corte O Mullet
Cut the mullet / Corte O Mullet
Cut the mullet / Corte O Mullet
Cut the mullet / Corte O Mullet

Insure One, it's the insurance superstore / Seguradora Um, é a superloja de seguros


O melhor de tudo é o anúncio no final, non?

terça-feira, abril 27, 2004

Sem Azor Eu Nada Seria

Novamente, vamos falar de Azor. Afinal, como já diziam os Beatles, tudo que você precisa é Azor, né? Vou postar as sugestões dos leitores no último post e mais algumas, okay? Novas sugestões são sempre bem vindas!

"...E falasse a língua dos anjos, sem Azor eu nada seria..."
by Legião Urbana, em "Monte Castelo"

"...Não alimente Azor ao telefone, isso é ilusão..."
by Jota Quest, em "Tele-fome"

"...Azor é o calor que me aquece a alma! O Azor tem sabor pra quem bebe a sua água! ...O Azor pode estar do seu lado..."
by Jota Quest, em "Do Seu Lado"

"... Beija flor, que trouxe meu Azor, voou e foi embora... Olha só como é lindo o meu Azor, estou feliz agora..."
by Natiruts, em "Presente de Um Beija Flor"

"...Jura, pelo Senhor, para que um dia eu possa dar-te o meu Azor..."
by Zeca Pagodinho, em "Jura"

"Adocica, meu Azor, Adocica!"
by Beto Barbosa, em "Adocica"

"Saiba que meu grande Azor hoje vai se casar...""
by Reginaldo Rossi, em "Garçom"

"...Não posso ficar nem mais um minuto com você/sinto muito AZOR, mas não pode ser/moro em Jaçanã..."
by Adoniran Barbosa, em "Trem das Onze"

"Quando o Sol se pôr, meu Azor, vôndivocêfô..."
by Detonautas Roque Clube, em "Quando O Sol Se Pôr"

"...Deixo a tristeza e trago a esperança em seu lugar, que o nosso Azor pra sempre viva..."
by Cássia Eller, em "Palavras Ao Vento"

"Por tanto Azor, por tanta emoção, a vida me fez assim..."
by Milton Nascimento, em "Eu, Caçador De Mim"

"Toda noite ela diz pra eu não me afastar, meia noite ela jura eterno Azor"
by Chico Buarque, em "Cotidiano"

"Bem lá no céu uma lua existe, vivendo só no seu mundo triste, o seu olhar sobre a Terra lançou, veio procurando por Azor"
by Sandy e Jr., em "A Lenda"

"... Mas a gente sempre quer mais, mais Azor, mais carinho..."
by Supla, em "A Gente Sempre Quer Mais"

"... Como é grande o meu Azor por você..."
by Roberto Carlos, em "Como É Grande O Meu Amor Por Você"

"Fazer Azor de madrugada, Azor com jeito de virada..."
by Kid Abelha, em "Pintura Íntima"

"A de Azor, B de Baixinho..."
by Xuxa, em "ABC da Xuxa"

Sessão Internacional
Sim, pois Azor não só conquista brasileiros, como também gringos, tá pensando o que?

"... Per Azore..."
by Zizi Possi, em "Per Amore"

"... Strani Azori, Fragili..."
by Laura Pausini, em "Strani Amori"

Teriam mais milhares para colocar, mas por hoje é só. Ainda existem alguns que ficaram só na sugestão, por isso peço uma coisinha: coloquem nas sugestões o nome do cantor (mesmo que não seja o compositor) e da música, como por exemplo a do Caetano Veloso, "Um Azor assim delicado/ Você pega e despreza", que a Gabi mandou. É uma ótima sugestão, totalmente dentro do contexto, porém... Não sei o nome da música! Tentem mandar como o Batata fez, assim:

"O AZOR é maior que tudo/do que todos/até a dor se vai..." (Dia Especial, Cidadão Quem)

Okay? Assim fica mais fácil para uma futura publicação! E aguardem, em breve, um especial do encontro Azor e Los Hermanos! Aguardem, será fenomenal!

quinta-feira, abril 22, 2004

I Can't Watch This!

Chegou a vez do clássico recomendado por Nikolas "Gláuber" Capp, o filme em que o assassino é nada mais, nada menos, que um boneco de neve. Sim, acertaram, hoje falaremos de Jack Frost!!!!!!

Jack Frost (FROST, JACK), 1997
de Michael Cooney
escrito por Michael Cooney e Jeremy Paige

No começo do filme, já se percebe a porquice. Prestem atenção nos créditos iniciais do filme, e vejam que eles em nenhum momento se levaram a sério. Graças a Deus.

Jack Frost (Scott MacDonald) está sendo levado para a prisão. Ele é um assassino procurado, e morrerá na cadeira elétrica. A viatura tem alguns problemas de percurso (como bater em um caminhão levando ácido) e Jack escapa. Mas quando está prestes a matar o motorista do carro, é atingido por todo o ácido, nos proporcionando uma das cenas mais porcas e mal feitas da história do cinema...


O famigerado Jack Frost, antes do banho de ácido


O problema é que ele se funde com a neve, e vira um ser feito de neve, que pode se derreter, e tal, e se locomover na forma de H2o. Simplesmente escroto.

O herói do filme é um policial tiozão da cidade, Sam (Christopher Allport) que tem sua família e tal, e um filho, Ryan (Zack Eginton), que cozinha mais do que o comum para uma criança. E isso não significa que ele cozinhe bem... Só que ele cozinha muito.


Sam, o herói policial, tiozão e pai de família


Bom, Jack Frost sai matando o povo da cidade como já é esperado. As mãos de Jack são mãos com luvas de forno, sabem aquelas de pegar bolo? O boneco de neve é feito de espuma. Uma das mulheres que morre é claramente um manequim, enfiado em luzes de Natal. Jack enfia a cara da mulher nas luzinhas da árvore, e ela fica toda enfeitada. É incrível.


Jack Frost em sua forma mais feita de espuma


Nesse filme aparece a eterna peladona Nadia de American Pie, Shannon Elisabeth, uma safada. E faz papel de safada, como em 90% dos filmes em que participa. Jill Metzner (Shannon) e um carinha invadem a casa do tiozão policial para meter lá (Pô, tanto lugar, vão na casa do policial?). A menina sobe as escadas para tomar banho (na casa dos outros?) e o carinha fica sozinho na cozinha. Adivinham o que acontece? Bom, com o cara morto (com um pedaço de gelo, sabe tipo estalactite?), resta Jill (mulher safada sempre morre). Ela está lá na banheira, e Jack congela a banheira. Depois tira a cenoura do nariz, coloca em... hm... um lugar estratégico, digamos, e trepa com a menina. Imaginem a cena e vocês verão como isso é ridículo. Daí, ela morre. Meio sem sentido, mas essa é a participação dela no filme...


Nossa querida Shannon Elisabeth, ou Nadia, de American Pie... Perto de sua morte


Chamam Agente Manners (Stephen Mendel), do FBI, e seu assistente Stone (Rob LaBelle) para ajudar a pegar Jack. Como se mata um boneco de neve? Com secadores de cabelo!. Sim, sim sim. Mas a besta não morre. Aí eles abrem uns inseticidas e fecham todas as portas, para tacar fogo no lugar onde estão. Dá tudo certo, o bagulho explode. Mas Jack só fica meio atordoado. Jack mata uns aí (isso inclui os dois do FBI, sendo que Stone foi o criador da bagaça que fez Jack reviver. Enfim...) , e sobram apenas o policial e seu fiote. Eles entram no carro, mas lá está Jack. Com nada a fazer, eles tacam um bolinho que o moleque tinha feito, e Jack começa a derreter. O babaca tinha posto anti-congelante no bolinho, para o pai não sentir frio, se o comesse. Que gênio... Sam, comece a bater em seu filho, por favor.


Acho que isso exemplifica a porquice do filme... Jack pronto para comer Stone


Aí eles enchem a carroceria da caminhonete de anti-congelante e dão um jeito de jogar o Jack lá. E fim, ele derrete. Colocam ele num recipiente e enterram... Mas pelo final, parece que haverá uma sequência... E há! Jack Frost 2: Revenge Of Mutant Killer Snowman, de 2000. Infelizmente, ainda não o achei em nenhuma locadora. Se for achado, pode ter certeza que estará aqui em breve...

Fotos do site BadMovies.Org

segunda-feira, abril 19, 2004

Hortolândia, Uma Cidade Em Jundiaí



Uma pequena dúvida: Jundiaí não é uma cidade e Hortolândia, outra? Não para Noel Fernandes, essa estrela musical que acaba de surgir no Brasil. Noel está lançando (tá, a budega tá aí desde 1999, mas tocou no Garagem, da Brasil 2000, só esse ano) seu CD "Serturbano Homenagem 1", ou seja, podemos aguardar pelo 2, 3... É um tiozão de talento (Infelizmente não possuo fotos, mas o pessoal do Garagem disse que ele parece uma mistura de Herman Monstro com Sandra de Sá)!

O hit single do disco é a faixa 13, "Hortolândia, Uma Cidade Em Jundiaí", que tem um clima meio New Order, meio eletrônico anos 80, cheio de tecladinhos de churrascaria e viradas de bateria desnecessárias. Podemos dizer que ele tem um talento, pois sua voz é uma dádiva dos céus. Se você quer comprovar o que digo, clique aqui e ouça a parte 1 do programa Garagem do dia 22 de março, aproximadamente aos 47 minutos de programa começará a música, com comentários dos apresentadores André Barcinski, Paulo César Martin e Álvaro Pereira Jr.

Aqui está a letra transcrita por mim, ouvindo tal programa. Há algumas interrogações na letra, pois certas palavras ditas por Noel (que tem língua presa e fala enrolado) são incompreensíveis pelo ouvido humano. Se você conseguir entender algo que não entendi, poste nos comentários que eu conserto, okay? Hortolândia!

"Hortolândia, Uma Cidade Em Jundiaí"
(Noel Fernandes)

Horto Horto Horto Hortolândia
Uma cidade em Jundiaí (Refrão)
Comprar ali é muito bom
É muito bom comprar ali

Na Foto Ótica e Relojoaria
Hortolândia, Hortolândia
Eu comecei minhas compras do mês
Bastou comprar uma vez só
Para mim ficar freguês

Hortolândia!

Horto Horto Horto Hortolândia
Uma cidade em Jundiaí (Refrão)
Comprar ali é muito bom
É muito bom comprar ali

Na Cine Rio
E na Loca Loca Locadora Locadora
No Pai do Sérgio e na ???
Comprei barato e qualidade
E ainda fui bem atendido

Hortolândia!

Horto Horto Horto Hortolândia
Uma cidade em Jundiaí (Refrão)
Comprar ali é muito bom
É muito bom comprar ali

Lá no Troféu, e na
Marimodas Marimodas Marimodas
Na ??? e na Loja Artimanha
Comprar ali é um barato
É o freguês que sempre ganha

Horto Horto Horto Hortolândia
Uma cidade em Jundiaí (Refrão)
Comprar ali é muito bom
É muito bom comprar ali

Num dia desses
Eu fui lá na "lója" em Jundiaí Jundiaí
Na Sibione, e na loja da Piro
E fiz uma compra tão boa
Que até dei um suspiro

Hortolândia!

Horto Horto Horto Hortolândia
Uma cidade em Jundiaí (Refrão)
Comprar ali é muito bom
É muito bom comprar ali

E tem delícias
Lá na Pódio Pizza
Pizzaria e Ristorante
No Rei do Sul e na Banca da Gilda
De Janeiro a Janeiro
É o freguês que leva a vida

Horto Horto Horto Hortolândia
Uma cidade em Jundiaí (Refrão)
Comprar ali é muito bom
É muito bom comprar ali

Quando se compra
Lá na padaria Hortolândia Hortolândia
Onde o pãozinho está quentinho a todo instante
Na Hidráulica Palhares
Freguês é coisa importante

Hortolândia!

Horto Horto Horto Hortolândia
Uma cidade em Jundiaí (Refrão)
Comprar ali é muito bom
É muito bom comprar ali


É provável que Noel tenha cobrado uma graninha das lojas citadas na música, pela publicidade, assim ganhando mais dinheiro que com a venda de CD's. Prestem atenção nas rimas perfeitas, como a parte da banca da Gilda, e quando ele fez uma compra tão boa que até deu um suspiro. Se você quiser entrar em contato com Noel Fernandes, é só ligar:

(OXX11) 11 78495639

Em breve, ligarei para o cantor sensação para agendar uma entrevista exclusiva para a Dare To Be Stupid, aguardem.

HORTOLÂNDIA!

quinta-feira, abril 15, 2004

Cuspido e Escarrado ...Mas Nem Tanto

Estamos de volta com o Cuspido E Escarrado, ainda em fase de republicação de fotos antigas. Hoje, vamos mostrar a sessão ...Mas Nem Tanto, que mostra semelhantes não tão semelhantes assim, pessoas parecidas que não se parecem, e por aí vai. Para começar, vamos mostrar a semelhança (ou não) de Beatriz "Bibi" Filipov e a cantora canadense Alanis Morissette:


Grau de parecência: 4/10


Agora, vamos à pequenina foto que compara Nikolas "Gláuber" Capp com Caio Blat:


Grau de parecência: 2/10


Continuando, temos Daniel "Doug" Akstein e o personagem que lhe deu apelido, o Doug, da Nickelodeon:


Grau de parecência: 3/10


E para fechar com chave de ouro, a parecência que parece que só pessoas do sexo feminino conseguem ver: Marcos Ferrazzo e Legolas, o elfo da saga Senhor Dos Anéis, são praticamente gêmeos, segundo Beatriz "Bibi" Filipov, Karin Suzuki, Michelle Moreira e até a própria mãe dele!!!


Grau de parecência: 1/10


Algum homem acha alguma semelhança entre os dois? Será que só na visão feminina Mark e Legolas tem algo em comum? Ou será que os homens têm medo de admitir? Comentem, digam quem tem a ver com quem e vice-versa!

segunda-feira, abril 12, 2004

Poesias Poéticas

Mais um pouco da sapiência de meu querido priminho, trazida em versos para vocês na sessão intitulada...

Poesias Poéticas
por Gustavo Horwath Ramos

Foda-se

"Quando eu quero que tudo se foda
Eu mando todo mundo se foder.
Porque todo mundo que está à minha volta
É meu amigo
E vai achar que eu tô zoando,
Que é brincadeira.
E é brincadeira mesmo,
Então
Todo mundo que se foda!"

Gustavo, 18 anos, 21 cm, é estudante, cabeça pensante, rabo peidante e muitos outros. Atualmente reside em São Paulo, e não visita o Barraco do Gordo há algum tempo, o que tem deixado todos os habitantes de tal local muitos tristes e desolados com a falta de seu Steve-O particular.

terça-feira, abril 06, 2004

Filmes À Putanesca

Yeah, dude, mais pornografia de bom (ou mau?) gosto aqui na sua Dare To Be Stupid. Com certeza todos que já deram uma espiadinha na parte da locadora em que se lê "erótico" já viu paródias de filmes conhecidos, como o clássico Curração Valente e Querida, Estiquei Seu Traseiro. Bom, depois de uma árdua e demorada pesquisa por essa biblioteca de dados inúteis que é a internet, achei uma grande quantidade de paródias eróticas de filmes conhecidos do público visitante do blog... Como são muitos, publicarei 5 por vez, cada qual com sua provável tradução para o português e o nome original do filme parodiado, e tudo em ordem alfabética. Além da minha sugestão de trocadilho que nossos queridos tradutores se encarregariam de colocar na versão nacional. Se você assistiu à alguma dessas incríveis versões, comente e conte sua experiência... Vamos lá:


All That Jizm
Original: All That Jazz
O filme original se chama All That Jazz, ou "Todo Aquele Jazz", e se tornou o singelo "Toda Aquela Porra".


Ally McFeal
Original: Ally McBeal
Eu realmente não saberia traduzir a palavra "feal", então a provável versão em português fica para a próxima...


American Booty
Original: American Beauty, ou Beleza Americana
Numa tradução livre e sem trocadilhos, ficaria Traseira Americana. Mas para combinar com Beleza Americana, talvez ficasse Safadeza Americana, ou algo assim.


The Ass Collector
Original: The Bone Collector, ou O Colecionador de Ossos
Sem trocadilhos infames, é O Colecionador de Rabos. Não consegui pensar num bacana pra rimas com "ossos". Alguém se habilita?


Austin Prowler
Original: Austin Powers
O que diabos é "prowler"? Se alguém souber, comente, que eu vejo o que faço.

Até o próximo Filmes À Putanesca, com mais do fino da indústria da safadeza nacional e internacional!

quinta-feira, abril 01, 2004

Adote Um Mullet

Hoje, apresentamos o 1º mullet já mandado para mim, cuja foto eu presenciei. O adotador é Zé Marcelo, o Viajante dos Sonhos, Guerreiro da Vida, Cozinheiro do Samba, Confeiteiro dos Mullets, Guerrilheiro Rural, Lobo Solitário, Doido Universal, Cavaleiro do Amor, Capitão da Verdade, Filósofo de Boteco, entre vários outros heterônimos, celebridade na PUC Campinas e em breve em todo o mundo.

O mullet adotado pertence à Léo Lourenço, que não tem nenhum heterônimo, mas também é muito influente na mesma universidade, onde é famoso por usar as calças o mais baixo possível e conseguir dormir o sono dos justos em praticamente todas as aulas.



O mullet de Léo continua vivo até hoje, e seu dono se orgulha muito dele. E o adotador (ou adotante?) também.

Mandem seu mullet adotado, adotem um mullet! O estoque de mullets é pequeno e se esgotará em pouco tempo! Mandem para jp_augusto@hotmail.com ou via ICQ, no nº 66490222! A foto precisa ter um mullet e um adotador, necessariamente! O mullet pode ficar incógnito, se quiser, e pode ser um mullet masculino ou feminino. Ou de outro sexo, sei lá. Talvez até de origem animal, vegetal... Tanto faz, no fim.