quinta-feira, junho 16, 2005

Metendo O Pau


"O Penetrador". Bela sátira, não?


Uma das sessões mais populares da Dare To Be Stupid trata de pornografia. Tínhamos várias, com resenhas de filmes do tipo, paródias pornô de filmes consagrados (vide O Senhor dos Anais, entre outros), entre outras coisas. Unificarei tudo isso com a nova sessão Metendo O Pau, que reunirá tudo que pode ser falado sobre a pornografia e todos seus aspectos.

Por que a pornografia me fascina? Porque, em sua maioria, é muito engraçada. A atuação, as falas, as caras e bocas, a previsibilidade, tudo contribua para que eu inevitavelmente morra de rir em quase todos os filmes pornôs. Apenas nesse tipo de filme você encontra falas clássicas como a atriz dizendo "Não, a gente não pode fazer isso, você é meu cunhado (ou irmão/tio/primo/afilhado/cachorro/vibrador/liquidificador)...", para em seguida ser atacada pelo ator em questão, de berimbau em riste.

As histórias de como aquele casal (ou trio, quarteto, quinteto, assim por diante) começou a transar loucamente é sempre uma atração. Começam a transar por causa de brigas, por causa da paisagem, porque a máquina de escrever quebrou, entre outras histórias mais mirabolantes ainda. Isso quando há uma história, pois às vezes, o filme começa e pronto: já temos uma moça levando uma surra de vara sem mais nem menos, sem explicações ou nada do tipo. Sempre na mesma ordem: sexo oral - sexo vaginal - sexo anal - ejaculação na boca. Sempre. A criatividade de quem faz filmes do tipo é simplesmente incontrolável...

Entre outros atributos que me fazem simplesmente amar um filme pornô, que normalmente pode também se encaixar em outra categoria que também amo, os filmes trash. Porque normalmente pornô é trash. Principalmente o pornô brasileiro, com camas rangendo, câmeras aparecendo, sons ao fundo, mulheres simplesmente horrendas (dignas de filme de terror trash, inclusive), interpretações magníficas, entre outros.

O pornô não é algo que todos costumam assistir em casa com a família, mas recomendo que se assista um bom pornô em grupo. Não que isso vá gerar uma orgia descontrolada (afinal, a vida não é um filme pornô), mas com mais pessoas, mais aspectos peculiares do filme podems ser encontrados, erros de gravação, continuidade... Mais ou menos como o Jô Soares faz com os filmes no programa dele, mostrando os erros, mas com os pornôs, que possuem uma quantidade infinitamente maior de erros.

Enquanto Silvia Saint ganha pra levar mandioca no fedegoso, eu não ganho nada, mas me divirto com o trabalho dela. E o de Chasey Lain, Asia Carrera, Aria Giovanni, Jasmine St. Clair, entre inúmeras outras... E não é com onanismo, por incrível que pareça.

5 comentários:

João disse...

Acho que faltou legendar a frase na capa do filme "O Penetrador":

"Eu gozarei".

Simplesmente uma maravilha da sutileza.

disse...

Jão, cê já viu o filme "Experimento Uranus", com a Silvia Saint?? Mais um exemplar do gênero "meteção científica".

Baiano disse...

Experimento Uranus é um clássico, vendia no programa da Monique Evans no Shoptime. Isso quando ela ainda não era evangélica.

Mas quero aproveitar este espaço para divulgar minha primeira pseudo-gonzo-reportagem. Entre lá no meu humilde blog. Clica aí.

léo disse...

haha...td muito bom Jão...mto bom!
realmente...antes de ficar de pau duro, filmes pornôs me fazem rir...como qdo, em um achado na rua (é sério!...tem gente q joga essas perolas fora!), dois mendigos (um homem e uma mulher, ainda bem) começam a brigar por uma garrafa de vinho...a discussão parecia ir longe, qdo o mendigo macho lança um súbito "chupa meu pau"...mais supreendente foi a resposta da mendiga femea..."tá, mas pede com educação"...o macho concorda: "por favor, chupa meu pau"...maravilhoso!...acho q a discussão é algum tipo de dança pré-acasalamento da espécie...

abrass!

vo aproveita e comenta o post de baixo aqui tbm...serei curto e grosso (sem trocadilhos):

e aí?qdo me empresta esses filmes?

abrass denovo

um boi qlqr disse...

Porno, diversão garantida para a familia toda