quinta-feira, agosto 04, 2005

Curtas e grossas


Hoje fui à uma farmácia e me pesei. 66,6 kg. Será que significa algo? Bom, é o peso da besta, não? E com 'besta', não me refiro à mim.

----------

Um comercial de papel higiênico me chamou a atenção ontem. Cenário: cozinha de uma casa linda e maravilhosa típica de comerciais. Um casal conversa enquanto desembrulha suas compras. Uma inesperada conversa sobre a maciez do papel higiênico em questão surge. A moça coloca o adjetivo que pretende ser bordão "super hiper mega ultra master duper macio", ou algo do tipo, e o marido desconfiado não acredita em tantos adjetivos (que não significam nada, aliás). Porém, o desfecho supera toda e qualquer espectativa: enquanto a moçoila lê uma revista na sala, ouve-se um som de descarga, e o marido sai saltitante trá-la-la do banheiro com cara de quem degustou a Juliana Paes Mendonça, completando com a frase: "É, é mesmo super hiper mega ultra master duper macio. Thunder plus!". Acho que por essas e outras que eu troquei minha escolha inicial de carreira de Publicidade e Propaganda por Jornalismo, viu.

----------

"Quando a comida é boa, a caganeira vale a pena"
by João Pedro Ramos (do verbo eu)

----------

"...Ao chegar ao local, descobri que Davi não sabia que o programa era aquele. Ele queria ir para alguma festa. Já tinha ido uma vez a essa casa, achou legal, mas hoje não estava a fim. Por fim resolveu-se que o programa seria o mesmo, porém a casa era em um bairro não mais animador: Mirante. Trata-se do vizinho do Baianão e do Cambolo, alguns dos bairros mais pobres da cidade. Porém o Mirante tem até umas casas boas, seria uma espécie de "primo rico", pensei.

Na hora da arrecadação para comprar a bebida, vi Xandão dar R$ 10. Olhei na minha carteira e tinha R$ 17. Peguei uma nota, peguei outra, olhei bem, pensei: Não posso dar menos de 10.... Amarga ingenuidade. Acostumado com as arrecadações da faculdade, onde R$ 10 é o menor valor, fiquei no mínimo desapontado quando o "arrecadador" disse com naturalidade que "teve gente que deu R$ 3". Quase chorei de saudades do meu suado dinheirinho."

Visite o Baiano e confira como ele se fudeu, na Bahia. Gonzo até o caroço.

----------

Atualmente estou cursando a disciplina Jornalismo Online. Quem sabe isso não traz algo de bom à esse amontoado de textos sem sentido e sem leitores.

----------

Nonsense é seu tipo preferido de humor? Você já está achando até "a piada mais engraçada do mundo", do Monty Python, uma coisa comum que faz sentido? Então, está na hora de você assistir à animação Spoon Guard. Se você gosta de assistir à Zorra Total e acha a coisa mais engraçada do mundo, fique longe. E se você se divertiu com Spoon Guard, assista também Ban Spoonguard. E chega, que bordão cansa depois de um tempo. Alguém avise isso ao pessoal da Praça É Nossa.

----------

"Essa é para quem assistia a Globo nos primeiros tempos do Angel Mix, por volta de 1995! Recebendo somente o nome de "Troopers" (tropeiros, em inglês! Os caras que inventaram o melhor feijão do mundo!) e tendo a sua abertura cortada, esta era a última "atração" do programa da loura, exibida depois dos nefastos Power Rangers!

O que foi feito neste arremedo de seriado foi o mesmo dos Rangers: os americanos pegavam séries japoneses (que já não tinham qualidade), editavam tudo com atores americanos no lugar dos japas (sempre alguém com cara de europeu, um(a) negro(a) ou algum latino saltitante, para mostrar a "igualdade" das raças, ops, etnias) e mudavam completamente a história, desde os nomes dos personagens até o enrendo. E as cenas de ação, com efeitos especiais, eram inteiramente copiadas dos japas!"

Visite o , e confira como além de ser um poço sem fundo de sabedoria, ele também possui uma das melhores memórias de elefante Jotalhão do mundo.

----------

Hey, garota, eu quero te levar em um bar gay!

----------

Hoje encontrei novamente com o rapaz feio bobo e chato que me assaltou em fevereiro, no centro da cidade. Atualmente, não sei quem tem mais medo quando a gente acaba se encontrando: ele ou eu. Estou pensando em, da próxima vez que o encontrar, chegar perto de fazer 'bu!'. Mas acho que não o farei. Aposto que acabaria perdendo mais alguns bens que estimo muito, como meu discman foi em fevereiro. Que saudades daquele aparelhinho mágico.

-----------

P-p-por h-h-h-h-hoje é ss-s-s-s-só, p-p-pessoal!

2 comentários:

disse...

Relembrar VR Troopers não é benefício de memória não, é trauma de infância! Ô troço mais porco que era aquele arremedo de seriado, viu...assim que terminavam os saltos de Ryan Stelle/Metalder, eu ia pra escola!

Mateus disse...

"à mim", Jp? "à mim"?! Caramba...

Ficou massa seu post-coluna, com vários dropes...