quarta-feira, setembro 05, 2007

Filmes ruins que são bons

Quem não deu aquela risadinha disfarçada, mesmo achando aquela cena na tela uma das mais imbecis já filmadas? Já assistiu filmes na Sessão da Tarde, e mesmo sabendo que estava perdendo seu tempo, não desgrudou os olhos da tela até o último segundo? Eu, como a maioria de vocês, já fiz tudo isso e mais: adoro esse tipo de filme. Quanto mais idiota, melhor. Piadas imbecis. Trocadilhos mal-dublados. Escatologia além do compreensível. Atores conhecidos em papéis que preferem esquecer. Atores que nunca mais serão vistos em qualquer outro filme. Existem milhões de motivos para você perder seu tempo (e dinheiro) e alugar esses cinco filmes ruins que são bons.


Cara, Cadê Meu Carro? (2001)
com Ashton Kutcher, Sean William Scott, Jennifer Garner

De longe, meu filme preferido. Aluguei sem grandes pretensões, esperando algo na linha American Pie. O filme começa idiota, vai ficando nonsense, e a cada minuto atinge um nível acima do humanamente imaginável. Jesse e Chester (Kutcher e Scott) acordam num dia sem lembrar do que aconteceu na noite anterior (já passei por isso). Ao irem visitar suas namoradas, percebem algo: cadê o carro? Nisso, seguem sua jornada procurando por pistas que digam o que fizeram e onde foi parar o tal carro.
Aviso: não espere um filme comum.
Destaque: chinese fooooood, how can I help you?


O Peste (1997)
com John Leguizamo, Freddy Rodriguez

Amado e odiado, O Peste é um campeão da Sessão da Tarde da Globo, quando eles não têm mais o que passar. Lembro da primeira vez que assisti, na Tela Quente. Na era Paleozóica. A premissa é simples. Leguizamo é Pestario Vargaz, um latino (dã) que sempre se dá bem. Até que acaba sendo literalmente caçado por um alemão maluco. Pronto, esse é o roteiro. Jogue bastante escatologia, piadas xenofóbicas, toda a zé-gracice de Leguizamo, e você tem um puta filme ruim que é ótimo.
Aviso: você pode odiar esse filme.
Destaque: "se eu estivesse envenenado, eu poderia fazer isso?


A Mão Assassina (1999)
com Devon Sawa, Seth Green e Jessica Alba

Aluguei esse filme junto com o clássico Ataque dos Tomates Assassinos e Jack Frost. Esse se enquadra muito mais no quesito "filmes ruins que são bons", já que os outros dois são mais "filmes B que são C". Anton (Sawa) é um maconheiro adolescente típico de comédia americana, e é mais sedentário que eu (e isso é difícil). Eis que o garoto
descobre seus pais mortos, ao acordar pela manhã. E ele descobre que o culpado... é sua mão direita! Anton segue matando contra sua vontade, inclusive seus dois melhores
amigos, que continuam vivos (zumbis, kinda) porque... estavam com preguiça de ir pro céu. Lembra bastante um episódio do Chapolim Colorado com o mesmo mote de descontrole manual.
Aviso: bom filme para iniciação de crianças em filmes de terror.
Destaque: a banda Offspring participa do filme tocando "Beheaded", e Dexter Holland segue a letra à risca.


Mulher Infernal (2002)
com Jack Black, Jason Biggs, Steve Zahn e Amanda Peet

A combinação Jack Black/Jason Biggs/Steve Zahn é fantástica. Filme sem-noção que trata do ciúme que todo amigo tem quando algum de seus colegas arruma uma namorada.
Nesse caso, Biggs se apaixona perdidamente pela personagem de Amanda Peet (e quem não se apaixonaria, hein?) e cabe à Black e Zahn recuperarem o amigo e tirarem a moça do esquema. Ótimas tiradas, Jack Black sempre genial, e Steve Zahn mandando bem. Em qual filme mais eu vi o tal Steve Zahn, hein?
Aviso: Nada de escatologia. Muito Neil Diamond.
Destaque: "Como um mímico fica fazendo sexo?"


Débi e Lóide (1994)
com Jim Carrey, Jeff Daniels, e Lauren Holly

Você já viu esse filme. Você riu com esse filme. Você imitou frases desse filme. Você conheceu Jim Carrey nesse filme. Você sabe o roteiro desse filme. Você cansou de ler frases terminando com "esse filme". Para quem não viu (duvide-o-dó!), Harry e Lloyd vão atrás de uma moça porque ela esqueceu a mala na limosine da qual Lloyd é motorista. Seguem inúmeras piadas escatológicas, idiotas, de duplo sentido, diálogos à Beavis e Butt-head, e a música só de consoantes do Crash Test Dummies.
Aviso: o Jim Carrey não era sensacional em 1994?
Destaque: me chamem de maldoso, mas... "passarinho bonito".

Taí. Em breve, cinco filmes bons que são ruins. Muito ruins.

Um comentário:

Nana ... disse...

O carinha da mulher inferal já fez
" The wonders "
" Os garotos da minha vida "
e vários outros que ele fazia pequenas pontas e sempre caras meio pertubados..
mas eu acho que the wonders foi onde ele despontou

bjo