quarta-feira, julho 01, 2009

Como o Tchan quebrou meus dedos



Quando você lê o título do post, sua mente poluída deve te dizer que eu usei demais as várias Playboys de Carla Perez, Sheila Carvalho, Sheilla Mello e Cumpadi Washington. Não, não foi o que aconteceu. Quem me dera.

Domingo, 28 de julho de 2009. A turma 33 de jornalismo da PUC-Campinas se reúne na casa de Pedro depois de alguns meses sem se ver. Cerveja gelada, quase todo mundo presente, homenagens à Michael Jackson e papos em dia. Depois de 962 latinhas, eu já via o mundo diferente. As memórias se confundiam, e idas ao banheiro eram mais constantes que exibições de Simpsons na Fox. Na minha 56ª ida ao banheiro, eu já estava mais louco que o Théo Becker. Eis que, enquanto estava quase terminando meu serviço no banheiro, ouvi a canção que mais quebra costas no planeta: a famigerada "Dança da Cordinha".

Corte para um pouco de cultura, sem anestesia: a "Dança da Cordinha", da fase de ouro do É o Tchan, é sucesso em qualquer festa, desde que seus participantes estejam bêbados. A dança consiste em passar por debaixo da cordinha sem cair, de preferência, curvando as costas de formas que só Sheilas conseguem.

Como eu dizia, ouvi Beto Jamaica entoando a canção sagrada e saí correndo do banheiro em direção à cordinha, segurada pela Dri. Passei algumas vezes perfeitamente, e quase no fim da música, após passar, na parte do "Essaí passou essaí passou essaí passou", de alguma forma consegui cair de uma forma tão emocionante que dei um duplo twist carpado e caí de frente, em cima dos meus dedos da mão esquerda. Como na canção, meus dedos médio e anelar se saúdam e se vão. Depois disso, minha mão ficou assim:



Tá, mentira, não ficou assim, só luxei os dedos, pelo que me falaram. Espero que sim. Enfim, os conselhos que vos deixo:

- Dança da cordinha não é para amadores. Se você tomou mais de duas latinhas, esteja preparado para usar sua carteirinha do plano de saúde;
- Não vá além do seu limite. Você pode até passar, mas uma fratura na coluna pode acompanhar seu feito;
- Se você tem escoliose, como eu, calcule o ângulo correto para não desequilibrar e ter uma fratura exposta;
- Não ouça É o Tchan em churrascos. Prefira a Macarena, segura e repetitiva, assim até sua vovó pode participar da coreografia;

6 comentários:

Marta disse...

UAHEUAHEUHAUEHAUHE chorei de rir! Vou guardar essas valiosas lições de vida!

Thatonka disse...

AHUHauHAHAU Fantástico adorei!! huahuah to rindo demais aki hauhuaua

Amanda' disse...

Chorei de rir. literalmente. muito bom, pena que você sofreu. :D

Zé disse...

E depois o rock é que é a música do Demônio...

Sônia disse...

Ri muito! Ótimo post!

Sônia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.