quinta-feira, fevereiro 03, 2011

Complete os espaços

Olá, amiguinhos! Sim, o Ouse Ser Idiota é como o Jason e volta pelo menos uma vez por ano para te assombrar com mais divagações imbecis que passam pela minha mente. Hoje, vamos falar um pouquinho sobre músicas babacas e fãs que se acham no direito e completá-las.

Eu explico. Você deve conhecer algumas músicas que, ao vivo, ganham a indefectível participação da plateia. Como os "ô-ô-ô-ô" no começo de "Fear Of The Dark", do Iron Maiden, ou os "ôôôôô" no refrão de "Pobre Paulista", do Ira!. Isso é bacana, promove uma interação legal entre músicos e plateia e agita o show.

Porém, existe uma forma maligna de participação da plateia: a "frasezinha que completa". Uma parte da letra que não está no CD, não foi escrita pela banda e que os músicos odeiam que sejam cantadas, mas que a multidão acha engraçadíssimo gritar nos shows. Entendeu? Não? Seguem alguns dos piores exemplos de músicas que ganham complementos. Entre parênteses, fica o que os renomados menestréis da plateia gritam a plenos pulmões. Sigam-me os bons.

- Kid Abelha - "Pintura Íntima"
A canção pop açucarada dos anos 80 da trupe de Paula Toller foi sucesso em todo o Brasil. E todo mundo sabe: o que é sucesso ganha paródias e versões. Nesse caso, algum gênio do humor conseguiu deixar a musiquinha mais "divertida" para ser cantada no recreio da 3ª série.

"Fazer amor de madrugada
(Em cima da cama, embaixo da escada)
Amor com jeito de virada
(Primeiro a patroa, depois a empregada)"

- Skank - "É Proibido Fumar"
O Skank reinventou o clássico do rei perneta Roberto Carlos com uma levada meio Apache Indian, lembrando o sucesso "Boom-Shak-A-Lak". O problema é que a versão chamou a atenção dos adolescentes, que resolveram deixar explícito o que ficava sutilmente subentendido na letra original. Porque duplo sentido é coisa de velho.

"É proibido fumar
(MACONHA)
Diz o aviso que eu li"

- Tchakabum - "Olha a Onda (Tesouro de Marinheiro)"
Baixei o nível aqui, mas foi necessário. Essa tem um dos exemplos mais clássicos de complemento feito por plateia. No caso, a massa enfurecida busca denegrir a imagem da garota citada nessa contagiante canção dos anos 90. E eu aposto que você sabe a coreografia dessa porra de cabo a rabo. Ah, e eu descobri esse subtítulo agora.

"Olhou o seu rostinho
(Cara feia!)
Olhou a barriguinha
(Barriguda!)
Olhou o seu pezinho
(Que chulé!)
Olhou todo o corpinho, deixe que eu vou te enxugar"

Lembra de mais alguma babaquice do tipo? Eu tenho certeza que existem mais...

2 comentários:

Rogério disse...

Jão achei mais uma, chama "Tá com medo de amar é?".

Na parte que diz "Quando eu der um sorriso tu me dá um beijo" a platéia solta um "Demorou".

Verônica disse...

Que país é esseee
(É A PORRA DO BRASIL!)