terça-feira, fevereiro 08, 2011

Filmes musicais que valerão a pena

O tão esperado filme baseado no épico das rodinhas de violão "Faroeste Caboclo", escrito por Renato Russo em uma sentada para sujar a louça, vai sair ainda este ano, estrelando dois atores relativamente vindos do nada e a revelação Kodak em 1 Hora Ísis Valverde. Como a criatividade dos cineastas parece ter acabado e agora todos os filmes são remakes, sequências e adaptações de livros, jogos, quadrinhos e agora canções, o Ouse Ser Idiota sugere algumas musiquinhas que seriam grandes sucessos de bilheteria sem fazer nenhuma força.


- "Vital e Sua Moto", de Daniel Filho
Vital (Marcelo Adnet) é um rapaz que mora na casa dos pais e não aguenta mais andar de ônibus cheirando sovacos alheios. Quando consegue uma graninha extra, compra uma motoca e sai por aí destruindo retrovisores dos incautos motoristas. O filme se desenrola durante a viagem de Vital até a capital, onde os Paralamas do Sucesso iam tentar tocar. Muitas confusões quando Vital tenta comer sua prima (Bianca Rinaldi), que já estava no local.

- "Homem na Estrada", de José Padilha
Pedro Paulo (Lázaro Ramos) finalmente se vê livre da cadeia. Resolve recomeçar sua vida, esquecendo seus dias de crime. Ao chegar na favela, vê que todos seus amigos ainda estão naquela vida, cometendo delitos e usando drogas. Convivendo com a violência e o preconceito, acaba mais furado que queijo suíço. Com participação de José Luiz Datena.

- "Puteiro em João Pessoa", de Sady Baby
A estreia de Sady no cinema comercial mostra a história de Dudu (Pe Lanza), que em uma festa de família, é convencido por seus primos Augusto (Kayky Britto) e Berssange (Caio Blat) a visitar um prostíbulo muito conhecido. Lá, ele vive uma noite de loucuras com a prostituta mais feia do cabaré (Regina Casé).

- "Abre Essas Pernas", de Fauzi Mansur
O cinema volta a fazer pornochanchadas em 2011. Neste filme, um homem (Antônio Fagundes) tenta convencer uma garota mais nova (Carol Castro) a ir para a cama com ele. A garota, conhecida por dar mais do que chuchu na serra, não concorda com a ideia... a menos que seja bem remunerada.

- "Bagulho no Bumba", de Felipe Joffily
Comédia que conta como um baseado perdido vai parar dentro de um ônibus e causa as maiores confusões. Com Bruno Mazzeo, Gregório Duvivier, Daniela Calabresa, Fábio Rabin e grande elenco.

- "Ela Roubou Meu Caminhão", de Selton Mello
Selton Mello dirige e estrela a história de um ex-presidiário que tem seu bem mais precioso levado por sua amada (Alessandra Negrini): seu caminhão. O filme conta a tortuosa vida do rapaz na cadeia, quando tatuava o nome da piranha com caneta e agulha na cela, enquanto ela fazia orgias dignas de Calígula em sua casa.

- "Natasha", de Anna Muylaert
A história de Natasha (Deborah Secco), que aos 17 anos, larga tudo, veste uma roupa de piranhuda e vai viver a vida de piranhuda. O filme de 2h30 de duração mostra ela dançando enquanto o mundo acaba, em uma linguagem poética e chata para caralho. Participação especial de Djavan como pneu de carro que canta tchururu tchuru tchururu.

- "Marvin", de Fernando Meirelles
Fernando Meirelles conta a conhecida história de Marvin, que perde o pai, depois a mãe e só se fode na vida. Com Fiuk como Marvin, Wagner Moura como seu pai de grande coração, Camila Pitanga como sua mãe, o grupo Banana Mecânica (ex-Hermes e Renato) como seus irmãos e Luiz Fernando Guimarães como frango, a única carne que Marvin via.

- "É o Tchan", de Eliana Fonseca
A diretora de "Eliana e o Segredo dos Golfinhos" volta aos cinemas com "É o Tchan". O filme é um épico que mostra como Carlinha (Mulher Pêra) se envolve com um mau elemento (André Marques) em um estranho jogo de sedução, intriga, sexo e boquinhas da garrafa. Estrelando Livian Aragão como resultado depois dos nove meses.


E aguardem: em 2012, muito mais filmes, como "Tremendo Vacilão", "Eguinha Pocotó", "Diário de Um Detento", "O Pão da Minha Prima" e o épico "Florentina", indicado ao Oscar de melhor deputado!

quinta-feira, fevereiro 03, 2011

Complete os espaços

Olá, amiguinhos! Sim, o Ouse Ser Idiota é como o Jason e volta pelo menos uma vez por ano para te assombrar com mais divagações imbecis que passam pela minha mente. Hoje, vamos falar um pouquinho sobre músicas babacas e fãs que se acham no direito e completá-las.

Eu explico. Você deve conhecer algumas músicas que, ao vivo, ganham a indefectível participação da plateia. Como os "ô-ô-ô-ô" no começo de "Fear Of The Dark", do Iron Maiden, ou os "ôôôôô" no refrão de "Pobre Paulista", do Ira!. Isso é bacana, promove uma interação legal entre músicos e plateia e agita o show.

Porém, existe uma forma maligna de participação da plateia: a "frasezinha que completa". Uma parte da letra que não está no CD, não foi escrita pela banda e que os músicos odeiam que sejam cantadas, mas que a multidão acha engraçadíssimo gritar nos shows. Entendeu? Não? Seguem alguns dos piores exemplos de músicas que ganham complementos. Entre parênteses, fica o que os renomados menestréis da plateia gritam a plenos pulmões. Sigam-me os bons.

- Kid Abelha - "Pintura Íntima"
A canção pop açucarada dos anos 80 da trupe de Paula Toller foi sucesso em todo o Brasil. E todo mundo sabe: o que é sucesso ganha paródias e versões. Nesse caso, algum gênio do humor conseguiu deixar a musiquinha mais "divertida" para ser cantada no recreio da 3ª série.

"Fazer amor de madrugada
(Em cima da cama, embaixo da escada)
Amor com jeito de virada
(Primeiro a patroa, depois a empregada)"

- Skank - "É Proibido Fumar"
O Skank reinventou o clássico do rei perneta Roberto Carlos com uma levada meio Apache Indian, lembrando o sucesso "Boom-Shak-A-Lak". O problema é que a versão chamou a atenção dos adolescentes, que resolveram deixar explícito o que ficava sutilmente subentendido na letra original. Porque duplo sentido é coisa de velho.

"É proibido fumar
(MACONHA)
Diz o aviso que eu li"

- Tchakabum - "Olha a Onda (Tesouro de Marinheiro)"
Baixei o nível aqui, mas foi necessário. Essa tem um dos exemplos mais clássicos de complemento feito por plateia. No caso, a massa enfurecida busca denegrir a imagem da garota citada nessa contagiante canção dos anos 90. E eu aposto que você sabe a coreografia dessa porra de cabo a rabo. Ah, e eu descobri esse subtítulo agora.

"Olhou o seu rostinho
(Cara feia!)
Olhou a barriguinha
(Barriguda!)
Olhou o seu pezinho
(Que chulé!)
Olhou todo o corpinho, deixe que eu vou te enxugar"

Lembra de mais alguma babaquice do tipo? Eu tenho certeza que existem mais...